Relatórios e contas

Ontem foi entregue ao cliente mais um relatório e contas traduzido. Desta vez, foram 51 000 palavras para francês, em apenas três semanas. O prazo curto, para documento tão técnico e extenso, deixou a equipa com borboletas na barriga, pela responsabilidade e pelo desafio. A Marta atirou-se ao planeamento e à seleção dos tradutores. A inevitável divisão, pelo curto prazo, exigiu a ponderação das qualidades de cada tradutor, a negociação de entregas parcelares, a atribuição ao mesmo tradutor de partes afins, a preparação de orientações claras sobre os objetivos linguísticos e editoriais, para não comprometer a fase do controlo de qualidade.

O projeto era exigente e o planeamento foi difícil; feito e refeito entre suspiros mais ou menos angustiados para que o tempo e as palavras se cosessem na perfeição. É que depois de planeada a fase da tradução, é preciso planear a fase de controlo de qualidade, que no caso de uma tradução a várias mãos é ainda mais exigente. Mas a Marta é perita no planeamento, que além de fazer com eficácia, faz com graça, em documentos coloridos, onde até a intensidade do esforço é representada com cor própria. E o planeamento fez-se e os tradutores lançaram-se ao trabalho, ansiosamente recebido por cada responsável pelo controlo de qualidade.

As pessoas pensam que, numa “agência”, a tradução passa do tradutor para o cliente diretamente. Se assim for, a Letrário não é uma agência. Quando a tradução vem do tradutor, o trabalho vai mais ou menos a meio. Que o digam os pobres tradutores, assaltados vezes sem conta com perguntas, pedidos de afinação, de esclarecimentos… Na mensagem do presidente, ele não quis dizer que se dedicam especialmente a certas áreas de atividade; quis dizer que se dedicam a todas as áreas, mas apostam especialmente em algumas. Apenas uma inflexão na expressão, mas certamente importante. Aqui não está só “postos de trabalho”, está “cargos e postos de trabalho”; é preciso traduzir a palavra que falta. Aqui falta o advérbio “estrategicamente” e não é advérbio que se possa omitir. Que quer dizer esta sigla? Precisamos de a desenvolver. A palavra “processo” tem de ser traduzida pela mesma palavra quando quer dizer a mesma coisa e sempre por outra palavra quando não tem a aceção principal.

A Cátia multiplica-se concentradamente em buscas automáticas que ponham as palavras no seu devido lugar, e nos devidos lugares as devidas palavras. O silêncio adensa-se e só se ouvem os teclados, até que é preciso tomar decisões em equipa. Como tratamos as siglas, neste caso? Substituímos pela tradução da designação desenvolvida e, entre parênteses, deixamos a sigla portuguesa. O uso do documento parece recomendar esta lógica, mas é preciso fazer aprovar a decisão pelo cliente. O proto-LEC vai aumentand
o em três folhas diferentes – glossário, regras e estrangeirismos escritos com e sem itálico – e é consultado à vez por toda a equipa para operações sistemáticas de uniformização. Este cliente é especialmente exigente em matéria de consistência e tem muita razão. A Marta zanga-se com o Word que momentaneamente se recusa a obedecer-lhe e o Daniel ri-se, enquanto faz a contagem decrescente do número de palavras em tratamento, e das horas, para entregar outro relatório e contas noutra língua a outro cliente. O Miguel vem, de mansinho, apurar as possibilidades da equipa técnica, para efeitos de orçamentação de mais um relatório e contas. A Cátia, absorvida no último cruzamento de documentos para uniformização de vocabulário, não levanta a cabeça nem o indicador, que viaja continuamente entre o lado esquerdo e o direito do monitor. No fim do dia, será preciso limpar a enorme mancha de impressões digitais de todos os monitores…

img_1241

É ultimada a mensagem ao cliente explicando decisões, sinais, composições, modos e números, enquanto as últimas respostas dos tradutores são usadas para as últimas afinações. O fim da tarde chegou e o projeto é dado por concluído e enviado em diversas mensagens ao cliente. Não há garrafa de champanhe para abrir, mas a palavra champanhe, que salta entre risos e chalaças, é suficiente, porque aqui as palavras são espumantes.

Amanhã é preciso arrumar o material linguístico, limpar o servidor de versões antigas, atualizar a base de dados, fazer o debriefinginterno… voltar ao planeamento colorido da Marta.

Ângela Santos