“Ponte pedociclável”?

Ouvem-se na rádio, quase todos os dias, as advertências para os condicionalismos de trânsito que a construção de uma ponte “pedociclável” impõe a Lisboa. Deduzo que com esta designação se pretenda significar que a ponte poderá ser usada por peões e ciclistas. Mas, na verdade… o antepositivo ped(o)- significa “criança” e por isso dizemos “pedopsiquiatra”, que significa “psiquiatra especializado em crianças”.

“Pedociclável” significa portanto “utilizável por crianças em biclicleta”. Ora, se esta ponte não estiver a ser construída só para nela passarem crianças de biclicleta, então o antepositivo a usar deveria ser ped(i)-, que se refere a “pé”. Mas mesmo usando o neologismo “pediciclável” não obteríamos o sentido pretendido, pois um prefixo liga-se a uma palavra para precisar o sentido dela e não para obter a coordenação de dois sentidos. “Pediciclável” significaria, portanto, “ciclável a pé”, o que não faz sentido.

Poder-se-ia referir esta ponte com o neologismo “pedicicloponte”, mas talvez seja preferível optar por lhe dar um nome próprio.

Ângela Santos