É fantástico! Será?…

É uma moda que já teve mais seguidores. Mas continua a ter bastantes entre certos grupos ligados ao entretenimento e à comunicação social. Refiro-me à adoção do adjetivo “fantástico” para qualificar tudo o que seja bom, desde o bonzinho até ao muito bom, mas que se queira apresentar como acima de muito bom. Não me interpretem mal: acho legítimos todos os atos de encarecimento e ênfase; cada um sabe de si e das suas opiniões e ninguém tem nada que ver com isso.

Aqui na Letrário, assumimos, no entanto, o dever de ajudar a uma expressão mais variada do que é bom. Por isso fizemos uma reunião de equipa para apoiar todas as pessoas que já estejam cansadas de qualificar com “fantástico” tudo aquilo que lhes parece bom e digno de ênfase. Deixo aqui o resultado da nossa reunião de equipa, que embora tendo terminado com um sentimento de dever cumprido, deixou em todos nós a sensação de que poderíamos continuar nisto de encontrar formas de encarecer por mais umas quantas horas… ou dias.

Ora, então, comecemos por um conjunto reforçado de sinónimos do dito “fantástico”, todos com bom ar e que não ficarão mal a ninguém:

– maravilhoso – magnífico – extraordinário – prodigioso – formidável – excelente – admirável – deslumbrante – primoroso – admirável…

Mas há outras formas de encarecimento e ênfase que não passam forçosamente por um adjetivo. Imaginemos que é de um livro extraordinário (maravilhoso, magnífico, prodigioso, formidável…) que falamos. Em vez de um adjetivo de sentido superlativo, podemos dizer assim também

– Este livro é mesmo muito bom.

– Há muito tempo que não lia um livro tão bom.

– Mas que sonho de livro!

– É impossível dizer como é bom este livro.

– Gostei tanto deste livro, que estou a pensar fazer-lhe uma estátua.

– Toda a gente que eu conheço acha este livro bom.

Ficamos hoje por aqui, mas, já sabem, se precisarem de mais sugestões é só contactarem a Letrário em Linha, onde uma voz simpática está sempre pronta para ajudar.

Ângela Santos