É complicado…

Creio ser tempo de declarar oficialmente que o adjetivo “complicado” é a palavra eleita pelos falantes portugueses para referir, em geral… todas as dificuldades. Há emoções complicadas e factos complicados; há pessoas complicadas e imprevistos complicados; decisões complicadas, dias complicados… “Difícil” é palavra démodée, considerada insuficiente, incapaz de transmitir as complexidades do que é penoso. É a vez da palavra “complicado”.

Procurando no tempo passado o momento em que “complicado” venceu “difícil”, “árduo”, “insuportável”, “doloroso”, “terrível”, lembro-me de quando o Facebook ainda era novidade e de me ter rido com a famosa declaração de estado civil “é complicado”. Mas não sei, não posso ter a certeza de devermos esta proliferação de “complicações” ao Facebook.

Poucas pessoas saberão, no entanto, que, na raiz de “complicado”, está a ideia de “dobrar”. “Complicado” significa, portanto, etimologicamente, “enrolado de tão dobrado”. Assim como “explicado” significa etimologicamente “desdobrado”. E “implicado” significa, por assim dizer, “introduzido na dobra”. Já “replicar” quer dizer “dobrar para trás” e “suplicar” significa “dobrar os joelhos”. É uma imensa família criada em torno de uma palavra simples: “dobra” (“plica”) .

Ângela Santos