Loading

Palavras de antanho: andar numa fona

“Andamos aqui todos numa fona!” Esta expressão, muito usual há umas décadas, é agora uma ilustre desconhecida para a maioria. Diz-se que se anda numa fona quando o ambiente é de correria, lufa-lufa, roda-viva. Mas, o mais curioso é que, mesmo para muitos daqueles que sempre a utilizaram, o significado de “fona”, nesta aceção, é provavelmente desconhecido. Lembro-me de, num rigoroso dia de […]

ler mais

O Rapto do Pai Natal

Lyman Frank Baum (1856-1919) foi um autor americano, conhecido por ter criado o famoso Feiticeiro de Oz. Antes do conto sobre o rapto do Pai Natal, já o autor tinha escrito The Life and Adventures of Santa Claus, de que o conto é uma continuação independente. A traduçãoque aqui farei será acompanhada de notas sobre […]

ler mais

Aquí hay gato encerrado

“Aquí hay gato encerrado” es una de las frases que loshispanohablantes suelen utilizar. Se usa cuando se desconfía de alguna cosa y equivale a “tiene misterio” o “tiene secreto”. Lo curioso es que el origen de esta expresión no tiene nada que ver con el “mamífero de la familia de los Félidos, (…) doméstico, (…) […]

ler mais

Subtilezas com a máxima importância

Um cliente pediu-nos a revisão de um texto já traduzido de inglês para português. De acordo com o cliente, a tradução não apresentava propriamente erros, mas, considerando sobretudo tratar-se de um texto para crianças, não apresentava a qualidade linguística suficiente. Ou seja, como um tecido gasto, via-se o inglês à transparência. Arregaçámos as mangas com entusiasmo. […]

ler mais

Jitanjáfora

Término sugerido por el escritor mexicano Alfonso Reyes (1889-1959) en su obra La Experiencia Literaria (1942) tras leer unos versos del cubano Mariano Brull (1891-1956). Alfonso Reyes define las jitanjáforas como “creaciones que no se dirigen a la razón, sino más bien a la sensación y a la fantasía. Las palabras no buscan aquí un […]

ler mais

Legionella

Os jornais têm-se fixado neste nome, que imprimem em itálico, como se convencionou fazer em caso de nomes de espécies. Mas poderiam também usar a forma portuguesa “legionela”, que está atestada nos dicionários como nome comum, dispensando-se portanto o itálico. E poderiam também usar o termo “legionelose”, para designar a patologia causada pela bactéria. A alternativa […]

ler mais

Palavras de antanho

Nazaré Carvalho é especialista em comunicação, tendo trabalhado mais de 12 anos no departamento de comunicação da McKinsey & Company. É estudante de flauta transversal, e dotada de ouvido apuradíssimo para a linguagem. Aceitou o convite que lhe dirigimos para escrever sobre palavras no blogue da Letrário, e damos-lhe hoje as boas-vindas.  “Estes jornais ainda mascarram […]

ler mais