Somos todos tradutores!

Todos nós somos tradutores, em algum momento da nossa vida. Esperamos que não tenha dúvidas acerca disto.

Se não, vejamos.

  • Sempre que viajamos e temos de comunicar com pessoas que falam num idioma diferente do nosso, estamos naturalmente a traduzir, estamos a ser tradutores. Este é um processo inconsciente quando dominamos bem o outro idioma. Mas pode ser um processo bastante difícil e consciente, quando não conhecemos bem a outra língua.
  • Sempre que, no nosso próprio país, recebemos um amigo estrangeiro ou somos abordados por turistas na rua pedindo indicações, vestimos, também neste momento, a pele de tradutor, quer o queiramos quer não, porque a circunstância assim o exige.
  • Sempre que ajudamos os nossos filhos num trabalho de casa de Inglês, Francês, Alemão, Espanhol, ou qualquer outra língua que seja ensinada na escola. Também aqui temos de esforçar-nos por comunicar noutra língua e, muitas vezes, até tentar ensinar noutra língua.
  • Sempre que no trabalho nos pedem para traduzir um documento, uma mnsagem de e-mail, uma proposta, também neste caso temos de tentar ser tradutores profissionais e, para o conseguirmos, temos de tentar aplicar as melhores técnicas de tradução que conhecemos. Para conseguirmos que a mensagem passe da melhor forma e que o trabalho fique com a qualidade desejada.

Poderíamos continuar a enumerar situações em que todos nós, num ou noutro momento, somos tradutores, profissionais ou amadores, mas tradutores, sem dúvida. E, como em tudo na vida, o nosso objetivo é sempre tentar fazê-lo da melhor forma possível. Por isso mesmo, sentimos que é importante partilhar com todos algumas dicas simples que o irão certamente ajudar em todas as situações em que veste a pele de um tradutor.

DICAS para TRADUTORES OCASIONAIS

  1. Antes de começar a traduzir, se se trata de um texto escrito, leia todo o texto primeiro. Se está numa conversa, preste muita atenção a todo o discurso.
  2. Tente compreender qual é a intenção do autor ao escrever / dizer o seu texto / discurso.
  3. Adapte o seu discurso a quem o vai receber (ler / ouvir). Para isso, é necessário conhecê-lo primeiro.
  4. Lembre-se sempre de que uma boa tradução requer uma boa interpretação do texto / discurso original.
  5. Seja coerente no tipo de palavras e na terminologia que usa ao longo do seu texto / discurso.
  6. Se usar o dicionário, nunca escolha logo a primeira tradução que vir; analise bem tudo o que o dicionário diz acerca de cada palavra, antes de escolher a tradução mais acertada.
  7. Tenha muita atenção aos «false friends». Podem custar-lhe muito caro!
  8. Se se trata de uma tradução escrita, leia-a toda depois de a dar por concluída.
  9. Releia a sua tradução umas horas depois. Vai perceber que há gralhas, incoerências de que, ao início, não se tinha dado conta. (Se puder, partilhe a sua tradução com um colega para que este a releia também.)
  10. Use sempre o corretor ortográfico do seu computador. Só tem vantagens nisso!

Esperamos que estas dicas simples o ajudem em todas as suas traduções ocasionais. Afinal, todos somos tradutores num momento ou noutro.

Se necessitar de aprofundar os seus conhecimentos na área da tradução, poderá sempre subscrever a nossa newsletter e ficar a par de todas novidades e best practices no mundo das traduções.

Aconselhamos também a fazer o download gratuito do nosso e-book: 12 Translation Myths

Se necessitar de ajuda profissional para a tradução de um texto, seja para que língua for, não hesite em contactar-nos clicando aqui.